CASA RG

Condicionado por uma fronteira protegida ambientalmente nos fundos do relevo do terreno, a delimitação reservada para a residência RG diverge em dois fatores prioritários distintos, um ambiental e outro humano: o desnível acidentado, característico do contexto patobranquense, e o valor contemplativo que a vegetação preservada oferece aos moradores no limite mais privado do lote.

O projeto, então, propõe uma alternativa que concilia esses dois aspectos. A partir da rua, a casa se estende a partir do limite superior do lote para os fundos, de forma a liberar a declividade do terreno enquanto se adequa à mesma, criar uma área sombreada sobre o solo e vincular o acesso principal ao espaço público na rua. Em sua conformação, o projeto assume, então, um pavimento térreo para finalidades íntimas – cuja elevação permite privacidade e as melhores visuais -, e um nível em subsolo para fins sociais e de serviços. Ambos os pavimentos podem ser acessados pela rua a partir do eixo de circulação disposto na fachada principal, que vincula a rotina diária ao espaço urbano.

Além disso, os poucos pilares de concreto e as lajes protendidas esguias garantem à residência traços contemporâneos, pela estética pura e pela planta mais livre, e uma apropriação elegante dessa amostra do relevo da cidade, uma vez que a leveza aparente da edificação e o caráter contemplativo fornecidos pela transparência do subsolo asseguram a vitalidade desta residência que anseia respeitar as possibilidades dos moradores e do entorno.

Categoria

  • Residencial

Data

2015

Local

PATO BRANCO, PR

Projeto

Michel Macedo

Colaboradores

Adriana Strapasson, Analu Lucatelli, Carolina Heloiza Rietter, Nivaldo Pontel Junior. Maquete: Paulo Jaeger



Compartilhar